Morre no Rio de Janeiro o iluminador cênico Binho Schaefer

Binho Schaefer foi um dos grandes nomes da cena cultural brasileira, deixa sua marca e sua contribuição nas artes cênicas palmense

Redação

Morreu neste final de semana, 09/05, no Rio de Janeiro, o iluminador cênico Binho Schaefer, vitima de uma complicação cirúrgica que havia submetido no mês passado. A partida de Binho Schaefer está sendo lembrada por funcionários da Fundação Cultural de Palmas devido a sua contribuição na capacitação do corpo técnico do Theatro Fernanda Montenegro, em passagens por Palmas onde trabalhou como iluminador de dois grandes espetáculos produzidos pela Prefeitura de Palmas e iluminou no Theatro Fernanda Montenegro vários espetáculos do Grupo Chama Viva.

BinhoFoto: Acervo pessoal Facebook

Fábio Osmar Schaefer, 45 anos, faz parte de uma geração de talentosos iluminadores cênicos da última década no Brasil. Sua trajetória no teatro foi marcada em mais de dez espetáculos da Cia de Teatro do Pequeno Gesto (RJ), além de iluminar grandes shows musicais para Caetano Veloso, Djavan, Lulu Santos, Adriana Calcanhoto, Engenheiros do Havaí e tantos outros nomes da cena musical e teatral brasileira.

O técnico Francisco Lustosa, da FCP, lembra a importância de Binho na formação do corpo técnico do Theatro Fernanda Montenegro. “Trabalhamos com o Binho em vários espetáculos, era um cara muito bacana e simples que tinha prazer de ensinar o que sabia e nos tornamos amigos.”

O ator, diretor e professor Cícero Belém recorda a correria na montagem do maior espetáculo já produzido pela Prefeitura de Palmas “Tocantins uma construção permanente”, em homenagem ao estado do Tocantins, uma produção que envolveu mais de 200 artistas no elenco entre atores, bailarinos, músicos, indígenas da etnia craôs, foliões de Monte do Carmo e os cavaleiros da congada de Taguatinga. “Foi uma loucura, o espetáculo envolvia toda estrutura do Espaço Cultural, teatro, cinema, gramado, grande praça e estacionamentos, era exuberante, tinha cenografia assinada pelo José Dias, um dos maiores cenógrafos do Rio de Janeiro e direção do Marcelo Souza, tivemos que chamar o Binho às pressas para criar a luz. E ele brincava o tempo todo na maior disposição dizendo que só Cícero Belém pra tirar ele do Rio e metê-lo numa fria (risos), ao final construiu uma das iluminações cênicas mais bonitas que o Tocantins já viu.” Conta.

O iluminador Lúcio Miranda, atualmente no Teatro SESC – Palmas, mas na época servidor da Prefeitura de Palmas conta que “Fiquei ciente desta despedida inesperada de Binho Schaefer por um grupo de iluminação cênica e acho que como a todos fui pego de surpresa, de imediato percorri a internet para conseguir mais informações, e ao mesmo tempo me veio à mente as lembranças de todos os trabalhos que participei junto com ele. Foram quatro ocasiões em diferentes espetáculos, onde pude conhecer seu trabalho e seus conhecimentos um pouco mais a fundo, sua sensibilidade para a criação era nata, não se conformava com o óbvio, profundo conhecedor da parte técnica das mesas de iluminação e equipamentos de última geração e o que mais me chamou a atenção diferenciando-se da maioria dos iluminadores: tinha uma visão de direção apuradíssima, nas conversas nas cabines de teatro ele pontuava detalhes nos ensaios que às vezes passava desapercebido até pelo próprio diretor (essa talvez tenha sido a maior influência profissional que tenho dele). Há um bom tempo não o encontrava, mas sempre esperava por isto, pois no mundo da iluminação sempre esbarramos uns com outros nem que para isto leve muito tempo (décadas às vezes). Vá em paz Binho, ilumine o outro plano agora!”

Cerimônia de Encantamento

Binho Schaefer é mais um dos grandes nomes da cena cultural brasileira que perdemos na semana passada, seu sepultamento será nesta segunda, dia 11, na cidade de Blumenau - SC. Um nome que deixa sua marca e também sua contribuição nas artes cênicas palmense.

Também nesta segunda-feira, 11, a partir das 21 horas no Canal dos resistentes, no You Tube, haverá a segunda edição da Cerimônia de Encantamento, uma forma encontrada por vários artistas para celebrar os nomes de muitos trabalhadores da cultura que estão partindo neste momento de covid-19, onde os amigos são impedidos de realizar atos presenciais de despedidas. Os homenageados de hoje serão os artistas Daisy Lucid, Binho Schaefer, Abraham Palatnik, Jesus Chediak, Ciro Pessoa e Sérgio Sant’Anna e será conduzida por nomes de peso da cultura brasileira como Celio Turino, Leonardo Boff, Amir Haddad, Ítala Nandi, Sérgio Mamberti, Luciana Sérvulo, dentre outros convidados.