Coronavírus, espetáculos suspensos e atores convivem com a saudade dos palcos

O apoio a cultura e a arte é fundamental. Alimentar o corpo é importante mas também é preciso alimentar a alma    

Wanda Citó

A produção de cultura e arte, quando nos deparamos com tempos turbulentos se percebe o quão necessário é fomentar essas práticas. No entanto, o ramo do teatro é algo que precisa de mais tempo para se adequar as novas circunstâncias, afinal um espetáculo de qualidade exige vários preparos, mas com tudo, muito estar por vir.

t1Ator Kaká Nogueira em espetáculo O Antiquário Frankl | Foto: Flaviana OX

No Tocantins, as atividades referentes ao teatro praticamente cessaram, muito que se havia planejado não teve andamento. O ator e atual presidente da FETAC- Federação Tocantinense de Artes Cênicas, Kaká Nogueira, revela como está a situação “Está tudo quase parado, muito pouco sendo produzido, alguns ensaios individuais, escrita de projetos, mas sendo executado quase nada. Muitas pautas foram suspensas ou adiadas, tour estadual e nacional sem previsão, festivais sem novas datas”.

Para o ator, diretor e professor de teatro Cícero Belém é difícil fazer qualquer previsão, mas coisas boas estão sendo planejadas. “Bem, eu posso falar muito pouco dos nossos projetos a frente da oficina de formação de atores e platéia. Já temos uma definição sobre as novas produções, o público pode aguardar boas surpresas na linha das grandes produções de obras universais. Tudo está paralisado devido a pandemia”.

Referente a políticas públicas para apoiar a cena teatral Cícero destaca que “em Palmas temos a Fundação Cultural que, é uma intuição da Prefeitura que tem feito jus a função pública e tem ficado do lado dos artistas nesse momento tão difícil. Infelizmente ocorre o contrário no estado do Tocantins e no Brasil. Em um momento tão complexo e difícil como este o estado enquanto poder público precisa intervir, se fazer presente na vida das pessoas. Esta é a razão da sua existência”.

“Acho que a cultura vai sofrer mais que as outras áreas, pela sua fragilidade que já é combalida por falta de apoio, sem um órgão estadual de cultura eficiente” destacou o Kaká.

t3Ator Cícero Belém interpretando o concelheiro do príncipe em espetáculo CINDERELA | Foto: Divulgação

Para quem trabalha com arte, e faz por amor, a distância dos palcos é algo que incomoda “Resta à nostalgia, revejo espetáculos que já fiz, é uma forma de segurar a saudade das aulas, os ensaios, o palco do teatro. O pior é que não fazemos ideia de quando retornaremos” pontuou o diretor.

Para Kaká a saudade é algo a se enfrentar, mas que está procurando outras formas para amenizar tal sentimento “É difícil, o palco é um lugar onde as minhas ansiedades são suspensas, como disse o Pedro Cardoso, mas tenho buscado outras alternativas como ler poemas no canal do instagram da cia”

Opção de entretenimento

No perfil do instagram da Cia CENABERTA (cenaberta.teatro) os atores estão lendo poemas e assim se mantendo envolvidos no isolamento. A companhia também está disponibilizando dois espetáculos “L!ngua preZa” e “Torrenegra” que você pode conferir gratuitamente no site www.cenaberta.com.br .